Salada de arroz e freekeh – saudável, simples e saborosa

Eu sou péssima em postar receitas e vocês sabem disso, né? rsrs…Mas como no VLOG de hoje nós conversamos com o Chef Garibaldi e ele fez aquela salada MARA, eu prometi a ele que ia postar a receita por aqui.

É muito fácil e MARAVILHOSA! E se vocês não acharam o freekeh (grão de trigo ainda verde com um processo de produção diferente),  vocês podem incluir algum outro grão mais crocante. Agora quem quiser apostar nessa grão que é chamado de superalimento, vale super a pena porque:

  • contém quatro vezes mais fibras que o arroz integral
  • é muito saboroso com um gostinho defumado
  • possui baixo índice glicêmico

Mas, o freekeh ainda é uma fonte de carboidrato, então moderação é a chave, né?

Ingredientes 

  • 1/2 xícara de arroz marrom
  • 1/2 xícara de freekeh
  • 10g salsinha picada
  • 20g groselha ou uva passa
  • Cebolinha a gosto
  • 1/2 cebola picada
  • 40g pimentão vermelho picado
  • 20g castanha de cajú picado
  • 20g pinhão ou amendoim
  • 1 dente de alho amassado
  • 60ml azeite (1/4 xícara)
  • 60ml molho teriyaki (1/4 xícara)

Cozinhar arroz e freekah em panelas separadas só com água, quando ficar pronto misture os dois e leve à geladeira para esfriar.

Misture o azeite, molho teriyaki, alho, sal e a pimenta. Retire o arroz da geladeira, acrescente o pimentão, a cebola, salsinha, cebolinha e as passas. Adicione o molho aos poucos e experimentando para checar o tempero. Ao final adicione as castanhas e sirva.

BOM APETITE!!! 🙂

E não esqueçam de seguir o Bruno, o seu instagram é @chefbgaribaldi.

 

Um zoom na minha dieta – atendendo a pedidos

pexels-photo-26799-large

No dia primeiro de Janeiro de 2016 eu comecei uma dieta rígida. Eu não gosto de usar a palavra “dieta” porque normalmente se refere à restrições e fome e essa associação não me agrada em nada.

Eu continuei com essa alimentação até o início de Fevereiro e aí dei uma relaxada, sem nenhuma culpa e sem esquecer do princípio da minha dieta.

Em resumo a minha dieta segue a recomendação para quem sofre de ovário policístico: redução do consumo de carboidratos, remoção do glúten e aumento da gordura. Eu não sigo modinhas, eu faço o que é bom para o meu corpo. E se o melhor fosse comer carboidratos, eu comeria. Simples assim.

Há uns 5 anos atrás eu sofria de azia, gases e barriga inchada. Eu achava que era o meu corpo. Mas quando comecei a diminuir a quantidade de carboidratos da minha dieta, os sintomas desapareceram. Uma fatia de pão comum pode não me fazer mal, mas uma fatia de pão todos os dias me deixa inchada e de mau humor.

Mas Bia, você não come um docinho? Claro que sim. Eu sou de carne e osso como vocês e tenho vontade de comer uma besteira de vez em quando. Mas como eu não sou nada moderada, eu prefiro ficar sem, porque ao invés de comer um biscoito, eu como o pacote inteiro. Rsrs…

O bom de reduzir a ingestão de carboidratos é que eu não tenho vontade de comer açúcar, porque o meu corpo está acostumado a usar gordura como fonte de energia. E quer melhor fonte de energia do que a gordura? O problema é que estamos tão condicionados a consumir carboidratos que o corpo não precisa usar as reservas de gordura como fonte de energia.

Então eu reduzi a quantidade de carboidratos, aumentei o consumo de gorduras e de cara transformei o meu corpo numa máquina de queimar gordura! Quer coisa melhor? 🙂

Eu sei que a pergunta que não quer calar é: quais tipos de gordura você consome? A ideia é comer comida de verdade. Carne vermelha com gordura, frango com pele, bacon orgânico e sem nitrato de sódio, abacate, azeite, óleo de côco, ovos, amêndoas, castanha do pará, banha de porco e um pouco de queijo natural, desses de fazenda mesmo. Eu também comecei a comprar ossos de boi com tutano e ferver em água. Esse caldo vira a base da maioria das minhas receitas. O tutano é um dos melhores remédios para o sistema digestivo e imune. Fora o colágeno que ajuda as articulações, fortalecendo os tendões e ligamentos. Eu sou super fã, porque quando o sistema digestivo está saudável, todo o corpo agradece, incluindo a nossa pele. 🙂

Para quem sofre de ovário policístico, a indicação é manter o consumo de carboidratos abaixo de 100 gramas por dia, com a quantidade dependendo do seu caso individual. Entre o início de Janeiro e o final de Fevereiro, eu diminuí bastante a ingestão por dia e mantive dentro de 30-50 gramas. Só para constar, uma banana tem mais ou menos 30 gramas de carboidratos! Eu dei uma liberada no mês de Março, mas já estou voltando à rotina. Equilíbrio é tudo.

O segredo da alimentação saudável é esse: comer comida de verdade e ouvir os sinais dados pelo nosso corpo. O meu não tolera uma quantidade grande de carboidratos, mas o seu pode tolerar. Há pessoas que não se dão bem com carne vermelha, eu me dou muito bem! Tudo é dependente da pessoa. Nós não somos iguais e não devemos comer da mesma forma.

Não exists fórmula mágica. O que existe são indicações. Se você comer comida de verdade, evitando porcarias e alimentos de origem duvidosa, os resultados virão.

E você? Como mantém uma alimentação saudável? Escreva os seus comentários aqui embaixo.

Beijos,
Bia

 

 

 

Perguntas e Respostas com o Nutricionista Bruno Chlamtac

_C3A2352O Home Fit Home foi tirar algumas dúvidas com o nutricionista Bruno Chlamtac, porque afinal, nós somos bombardeados com diferentes dietas, modinhas de alimentação e acabamos nos confundindo com tanta informação.

As minhas perguntas são um resumo das dúvidas que vocês me enviam e o Bruno deu a sua opinião profissional. Eu me consultei com o Bruno quando tinha uns 18 anos, na época em que morava no Brasil. Na época eu queria perder peso…Coisas que toda mulher entende. 🙂 Desde então, eu venho acompanhando a sua página do Facebook e todas as suas receitas deliciosas.

Recentemente o Bruno lançou a Boa Mão, uma linha de alimentos preparados com produtos orgânicos e sem glúten, lactose, soja ou conservantes químicos. Eu comi e aprovei! 🙂 Vocês podem encontrar o Boa Mão no Instagram @boamaogf e no Facebook https://www.facebook.com/boamaogf?pnref=lhc

Home Fit Home: Qual é a importância da alimentação se comparada ao exercício físico quando um cliente quer atingir objetivos estéticos?

Bruno: Para obtenção de objetivos estéticos, ambos são fundamentais na obtenção de um resultado satisfatório. Acredito que 50% de importância para cada um. A alimentação correta e adequada vai lhe proporcionar o resultado esperado, mas sem a atividade física os resultados são bastante inferiores ao esperado. E a recíproca é verdadeira.

Home Fit Home: Atualmente, existem várias dietas: Paleo, LCHF, South Beach, Atkins, dieta da fruta, da proteína…Qual é a sua opinião sobre as diversas dietas?

Bruno: O melhor caminho é procurar uma dieta feita para você, com o seu nome. Essa é a melhor dieta! Aquela que respeita suas individualidades, seu ritmo de vida, sua rotina de exercícios e suas necessidades fisiológicas. Dietas da moda ou que deram certo com o vizinho tendem ao fracasso e ao efeito sanfona.

Home Fit Home: Qual é o erro mais comum identificado na dieta dos seus clientes?

Bruno: O erro mais frequente é a busca por produtos zero, diet, light, industrializados e a pouca procura por comida de verdade. Nós estamos comendo pouca comida e nos entupindo de alimentos vazios de nutrientes e com baixa caloria. Na época da vovó nós éramos mais saudáveis!

Home Fit Home: Os supermercados estão lotados com produtos lights, diet, fit para se referir a um produto saudável ou emagrecedor. Dá para confiar nos rótulos?

Bruno: Nós temos um órgão que regulariza e fiscaliza os alimentos, a Anvisa. Portanto, temos que confiar. A dica é comer menos alimentos com rótulos e mais comida de verdade. Assim não tem erro! Por exemplo: o pão tem rótulo e 20 ingredientes na composição. Já o Aipim não tem rótulo e apenas 1 ingrediente: aipim. A barra de cereal tem rótulo e diversos ingredientes, enquanto que a maçã não tem rótulo e apenas 1 ingrediente: maçã.

Home Fit Home: Quais são os alimentos considerados “saudáveis” mas que no fundo sabotam a nossa dieta?

Bruno: Diversos alimentos como: barra de cereal, iogurte zero, sopa de pacotinho, biscoito cream cracker, suco de caixa e por aí vai. Calorias vazias, sem nutrientes e na maioria das vezes lotados de açúcar, gordura ruim e conservantes.

Home Fit Home: Qual dica você dá aos seus clientes que não conseguem resistir à tentação de comer doces?

Bruno: Primeiro é necessário avaliar o paciente e verificar se há alguma deficiência de zinco, magnésio, triptofano, cromo, etc. Geralmente pessoas com deficiência destas vitaminas, minerais e aminoácidos possuem uma vontade maior por doces. Chocolate, por exemplo, é rico em triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, hormônio que gera a sensação maravilhosa de prazer e felicidade após comer um chocolate. Outro ponto é avaliar a quantidade de carboidratos que a pessoa come ao longo do dia. Algumas pessoas acabam fazendo restrição de carboidratos e a quantidade de glicose no sangue diminui fazendo a vontade por doces aumentar. A terceira dica é procurar as frutas in natura, frutas secas, chocolates com maior teor de cacau, como 70% para suprir essa necessidade.

Home Fit Home: É claro que o acompanhamento com um nutricionista é o ideal na conquista de um corpo saudável. Quais dicas você pode dar para quem não pode se consultar regularmente com um profissional?

Bruno: Evite industrializados, coma comida de verdade, beba bastante água e pratique atividade física. Pesquise, leia, seja curioso e comece a conhecer o seu corpo. Hoje em dia, felizmente, o acesso a informação é muito grande.

Falta de planejamento na cozinha é receita de fracasso na dieta

Muitas pessoas querem mudar a dieta e alcançar uma vida mais saudável, mas continuam comendo na rua.

Eu sei que existem restaurantes com opções saudáveis, mas mesmo assim eles acabam incluindo ingredientes ou molhos que sabotam a sua dieta. Gente, eu sei que é difícil, ainda mais quando a gente trabalha o dia inteiro e não tem tempo de cozinhar. Eu sou a a primeira a confessar que eu como bastante fora.

Mas esse fim de semana eu resolvi começar a preparar as minhas refeições da semana seguinte. Eu fui num açougue bom e num supermercado tipo Horti Fruti e comprei 1kg de carne moída, 1 kg de coxa de frango, 1kg de quinoa, um monte de legumes e verduras (batata doce, cenoura, beringela, abobrinha, abóbora, cherívia, manjericão, salsa, cebolinha, cebola, alho…e frutas!). Nossa acho que foi isso mesmo! Tá tudo na foto! Lembrando que essa quantidade é para duas pessoas.

FullSizeRender

Eu cozinhei toda a carne moída com bastante cebola e alho, e assei a maioria dos legumes cortados até eles caramelizarem. E também fiz uma salada de quinoa – mas eu não usei 1kg não, fiz mais ou menos 400 gramas. Separei tudo em marmitas e o resto eu reservei para o jantar. Ah, e ainda lavei a luva e o morango e deixei tudo cortadinho na geladeira, principalmente para aqueles dias que eu estou com vontade de comer doce. Tudo isso acompanhado de uma taça de vinho tinto, porque vinho tem bastante resveratrol e… porque é domingo e está frio aqui em Melbourne, então eu mereço!

O resultado: eu tenho a minha semana de almoços pronta e ainda tenho o frango para cozinhar e sobras dos legumes e da carne moída. Eu resolvi todas as minhas refeições em menos de 2 horas, sem gastar muito dinheiro. E eu vou poupar tempo todos os dias à noite, porque só vou precisar cozinhar o frango.

Eu esqueci de mencionar que você fica no controle da sua dieta, porque você é quem escolhe o que entra no seu prato!

A minha recomendação é preparar muita verdura, legume, algum tipo de proteína e um pouco de carboidrato como batata doce, arroz, quinoa, etc.

E aí? Quem vai à feira ou ao supermercado hoje comprar as comidinhas para a semana?

 

Sobremesa simples, rápida e saudável – Creme de Tapioca

Tapioca pudim
Sobremesa de um domingo de preguiça…ou será café da manhã?
Hoje é domingo em Melbourne e eu acordei cedo, tomei café da manhã (1 ovo, um pouco de bacon e sauerkraut), liguei para o Brasil para falar com a minha mãe e voltei a dormir…gente eu estava morta! 
Aí eu acordei com aquela vontadinha de comer algo doce e lembrei que tinha comprado um pacote de pérola de tapioca…o chamado Sago que às vezes você vê em restaurantes asiáticos como sobremesa. As pérolas na verdade são as sementes da tapioca, branquinhas no pacote e transparentes ao cozinhar.
Eu resolvi postar essa receita porque ficou uma delícia e levou 13 minutos! Quer melhor que isso?
Porções: 4 
Ingredientes:
  1. 1/2 xícara de pérola de tapioca
  2. 2 1/2 de xarope de arroz integral – ou adoçante natural a gosto (stevia ou xylitol)
  3. Canela a gosto
  4. Cravo em pó à gosto
  5. 1 colher de semente chia
  6. 500 ml de leite de côco – ou para quem só tem uma latinha de 400 ml, coloque o restante de água
  7. 2 colheres de chá de essência de baunilha
Instruções
  1. Coloque meia xícara da semente de tapioca na panela com 500ml de leite de côco de latinha, daqueles originais com gordura mesmo + 2 colheres e meia de xarope de arroz integral (ou qualquer adoçante natural como xylitol ou stevia), canela, cravo em pó e essência de baunilha.
  2. Cozinhe em fogo baixo por 10 minutos mexendo de vez em quando.
  3. Passados os 10 minutos jogue uma colher de sopa de chia para um pouquinho mais de fibra e proteína.

Quem quiser colocar manga picadinha ou mirtilo (blueberries) no final, também pode! 🙂

Mas cuidado para não exagerarem na porção hein gente? Tapioca tem bastante carboidrato! 

Espero que vocês façam e aprovem!

Beijos

Bia

Vai uma Coca-Cola aí?

IMG_8075

Você acorda com fome, mas está com pressa de sair de casa….aí você toma um copo de de suco de caixinha ou um copo de refrigerante e uma fatia de pão com requeijão light e vai trabalhar. No meio da manhã você está morrendo de fome e come um salgadinho integral ou uma barrinha de cereal com frutas e mel porque você não tem muito tempo.

O almoço é um macarrão, ou arroz com carne, batata e um pouquinho de salada, e para quem segue a modinha do momento aquele sanduíche de tapioca com bastante recheio. Para acompanhar, mais uma latinha de refrigerante. Lá pelas 3 da tarde você tem aquele desejo de comer doce e acaba comendo bala, biscoito ou bolo. Se você treina durante a noite, você se convenceu de que precisa de um lanche reforçado, um sanduíche de pão integral com bastante queijo e presunto com um suco FIT de caixinha. Você sai da academia mais uma vez faminto e bate um prato de arroz branco ou integral, feijão, carne, batata. Se você não tem comida em casa, acaba comendo uma pizza e bebendo uma cervejinha com os amigos.

Parece familiar?

Segundo a Pesquisa Nacional da Saúde, divulgada pelo IBGE em 2014, quase um quarto dos brasileiros toma refrigerante ou sucos industrializados pelo menos cinco vezes na semana e ingere bebidas alcóolicas mais de uma vez na semana.

Esses chamados “alimentos” nada mais são do que açúcares mascarados.

A pesquisa pode ser acessada no site do IBGE, então não vou divulgar todos os dados, mas os resultados são alarmantes com uma população que prefere os lanches rápidos à refeição caseira, consome poucas frutas e hortaliças e vem aumentando o consumo de doces (especialmente pela população feminina). O resultado: mais carboidrato (açúcar) e menos fibra e proteína.

O ponto importante é: o grupo de entrevistados com mais instrução apresenta melhores resultados, ou seja, educação é essencial para as escolhas alimentares do brasileiro.

Mas para a surpresa de muitos, ainda tem muita gente com curso superior e com acesso à informação que toma refrigerante e se convence com os discursos: “você merece”, “você não tem mais nada para comer”, “é o final de semana”, ou “você não tem tempo”.

Eu vou explicar o que acontece com o nosso corpo quando ingerimos um copo de Coca-Cola com o estômago vazio.

Para começar: uma lata de Coca-Cola contém aproximadamente 9 colheres de chá de açúcar.

Oi?

É isso mesmo, 9 colheres CHEIAS. Agora, pegue um copo e coloque 9 colheres de açúcar dentro. Agora me diga: você comeria todo esse açúcar de uma vez só? Então vamos voltar ao que acontece com o seu corpo de maneira simplificada.

O seu estômago rapidamente absorve a frutose e a glucose do refrigerante e você experimenta um pico de açúcar no sangue que, consequentemente desencadeia a produção de altos níveis de insulina. A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas em resposta aos níveis de glucose no sangue. Quanto mais açúcar ingerido, mais insulina nosso corpo produz.

Essa alta produção de insulina impede a queima de gordura porque ela acaba desencadeando a produção de novas células adiposas. Afinal, por que o corpo queimaria gordura para a produção de energia se você está dando altas quantidades de açúcar de rápida absorção? Simplificando: açúcar = energia.

Outro hormônio que vale mencionar é o cortisol. O cortisol é produzido todos os dias pela manhã e que nos prepara para o dia, e ainda por cima transforma o nosso corpo numa máquina de queimar gordura durante a manhã. O cortisol queima gordura para liberar energia para o dia que começa. Claro que isso tudo acontece se os seus níveis de cortisol estão normais. Vale lembrar que muito cortisol provocado por estresse não contribui para a perda de gordura…!

Mas o que o cortisol tem a ver com o açúcar e a insulina? Com a ingestão de açúcares e a produção de altas quantidades de insulina, o cortisol, hormônio produzido entre 8-9 da manhã, deixa de transformar os triglicerídeos em ácidos graxos livres – a lipólise (queima da nossa querida gordurinha).

Eu estou simplificando um processo complexo que involve outros hormônios como por exemplo a leptina e a grelina. A grelina é um hormônio que regula o seu apetite, responsável por sinalizar quando o seu estômago está vazio, mandando uma mensagem ao cérebro: “Ei, quando você vai comer?”. A grelina também alcança o seu pico pela manhã e é responsável pela produção do hormônio de crescimento (GH) que também promove a lipólise e a diminuição da perda de massa muscular. Com o aumento dos níveis de açúcar e da insulina, você acaba diminuindo a produção da grelina e do GH…

…Isso tudo acontece pela manhã quando você se enche de carboidrato/açúcar. 

Pronto. Com uma suposta bebida inocente e saborosa com 9 colheres de chá de açúcar, você conseguiu transformar o nosso corpo, uma máquina de queimar gordura, em uma máquina de armazenamento de gordura sem nem saber! Fora o efeito espiral ao longo do dia: devido aos altos níveis de açúcar no sangue e consequente absorção do mesmo pelo corpo, você se sente irritadiço e com fome algumas horas depois do café da manhã. E aí você corre para a lojinha de salgado e doces tentando controlar a sua fome e acaba se entupindo de mais carboidrato…

O que fazer com essa informação?

O que eu aprendi por experiência própria e depois de muita pesquisa: eu parei de contar calorias e comecei a me preocupar com a qualidade dos alimentos ingeridos. Açúcar de fontes de carboidrato industrializados não faz bem a ninguém. E a Coca-Cola é um dos piores exemplos que existem…E se tomada pela manhã então tem efeitos ainda mais catastróficos, justamente quando o corpo está se preparando para um dia de trabalho. E para finalizar, os corantes, o açúcar, o sal industrializado e o ácido dos refrigerantes são ingredientes perigosos e, juntos são altamente viciantes.

Para finalizar, eu queria dizer que a Coca-Cola é somente um exemplo e não significa que outros alimentos não desencadeiem efeitos semelhantes no corpo. Eu escolhi a Coca-Cola porque a bebida é um dos piores “alimentos” com nenhum valor nutritivo e, que na minha opinião, só deve ser usada para limpar pias e banheiros. Isso também se aplica a outros refrigerantes gente, não estou me referindo somente a Coca. Mas, sucos de caixinha, pães, e outros alimentos com quantidades altas de carboidrato também causam o mesmo efeito no corpo.

Eu sei que parece dramático, mas eu peço a todos vocês que tomam Coca-Cola a pensar nos seguintes pontos antes de comprar uma latinha:

  • você estará ingerindo 9 colheres de chá cheias de açúcar
  • você vai desencadear uma confusão hormonal no seu corpo
  • o seu corpo vai parar de queimar gordura
  • o seu corpo vai armazenar gordura
  • o seu corpo não vai aproveitar nadinha da Coca, nem um nutrientezinho
  • o refrigerante vicia e você vai se tornar dependente, se já não é agora

Então, o que eu fiz para substituir o refrigerante?

Eu adorava tomar Coca Zero porque eu justificava para mim mesma que era melhor do que a Coca comum. Mas, no final das contas, os ingredientes são os mesmos e a única diferença era o adoçante ao invés do açúcar.

O que eu descobri é que eu era mais viciada na sensação refrescante que a Coca-Cola me dava, então eu troquei o refrigerante pela água com gás. Quando me dá aquela vontade de tomar uma Coca Zero gelada, eu tomo um copo de água com gás com limão e gelo. E eu amo limão gente! Fica uma delícia!

Quem aí agora vai viciar na água com gás? 🙂 Me digam se funcionou para vocês!

Referências:

IBGE. Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/pns/2013/default.shtm. Acesso em 14 de fev. 2015

Kallio P, et al. Dietary carbohydrate modification induces alterations in gene expression in abdominal subcutaneous adipose tissue in persons with the metabolic syndrome: the FUNGENUT Study. Am J Clin Nutr. 2007 May; 85( 5): 1417– 27. Acesso em 14 de fev. 2015

Hyman M. Why Focusing on Calories Misses the Bigger Picture for Your Weight and Health, Disponível em: http://drhyman.com/blog/2015/02/13/focusing-calories-misses-bigger-picture-weight-health/#close. Acesso em 14 de fev. 2015

Sorrentino, V.  O que esta deixando o mundo obeso. Disponível em: http://www.drvictorsorrentino.com.br/o-que-esta-deixando-o-mundo-obeso/. Acesso em 14 de fev. 2015

Sorrentino, Victor. Segredos para uma vida longa / Victor Sorrentino. – 1 ed. – Porto Alegre : Totalcom Comunicação, 2014.

Kollias, H. Leptin, ghrelin, and weight loss. Here’s what the research has to say. Disponível em: http://www.precisionnutrition.com/leptin-ghrelin-weight-loss. Acesso em 14 de fev. 2015

Kiefer, J. Carb Back-Loading Step 1: Breakfast, Disponível em: http://www.schwarzenegger.com/fitness/post/carb-back-loading-step-1-breakfast, Acesso em 14 de fev. 2015

Natal sem culpa…Receita de torta de abóbora sem açúcar!

0C3A4509

Para quem esqueceu de encomendar uma torta de Natal ou para aqueles que estão pensando numa alternativa saudável para celebrar a noite de Natal!

Que tal uma torta doce sem glúten e sem açúcar? Eu venho adaptando essa torta já faz um tempinho e o namorado aprovou! 🙂

Você vai precisar de:

Recheio

  • 1 1/2 xícaras de purê de abóbora
    • *A abóbora orgânica é mais saborosa que a comum e talvez você nem precise usar muito adoçante. Para fazer o purê você pode colocar pedaços da abóbora com azeite e uma pitada de sal no forno por 15-30 minutos dependendo do tamanho dos pedaços. Depois é só retirar as cascas e amassar bem.
  • 3 ovos
  • 1/2 xícara de Xylitol (ou a gosto) – uma alternativa é usar mel (110 ml), mas lembrando que mel é que nem açúcar! E recomendo menos de meia xícara porque o mel é bem doce! Vá provando até achar o ponto certo para você.
  • 180 ml de creme de leite (lacfree ou Zymil ou comum mesmo)
  • 1 colher de sopa de gengibre fresco ralado
  • 1 colher de chá de sal
  • 2-3 colheres de sopa de farinha de tapioca para engrossar (eu ainda não testei com biomassa de banana verde, vocês podem testar e me contar como ficou)
  • Raspas de 1 limão
  • 1/4 de colher de chá de cravo
  • 1/4 de colher de chá de noz-moscada
  • 1 colher de chá de canela

Base

  • 60 gramas de manteiga derretida
  • 2 xícaras de farinha de amêndoa ou macadamia ou avelã ou uma mistura dos três (a macadãmia fica uma delícia!!)
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de xylitol

Instruções

Aqueça o forno a 180 graus. Comece fazendo a base: combine a manteiga derretida com a farinha de macadâmia, o sal e o xylitol até a farinha soltar óleo e ficar bem grudentinha. Quanto mais você trabalhar a mistura com a mão, melhor a base vai ficar!

Pressione a mistura nos lados e na base de uma fôrma de 20-25 cm. Você escolhe se quer a base mais grossa ou fina ao pressionar mais ou menos. Coloque a fôrma no forno pré aquecido por 5 minutos ou até começar a dourar. Remova a fôrma do forno e deixe esfriar (coloque no congelador se você não tiver tempo que nem eu! haha)

Enquanto isso você vai misturar os ovos e o xylitol e depois adicionar todos os ingredientes. Você quer uma consistência de creme. Se estiver muito líquido adicione mais farinha de tapioca. Despeje o recheio na fôrma com a crosta fria e leve ao forno por 45-55 minutos. Uma forma de saber se a torta está pronta é quando o recheio começa a descolar da base.

Para enfeitar e dar um gostinho bom você pode usar côco ralado como na minha foto!

Me avisem como ficou!!! Eu estou pronta para comer a minha!

0C3A4466

Dicas de sobrevivência para a ceia de Natal!

0C3A4547-Edit

Você treina todos os dias, come direitinho e tenta cuidar da sua saúde, mas quando vai chegando o Natal você começa a enfiar o pé na jaca porque afinal…é Natal!

A maioria das pessoas come mais do que deveria no final do ano, talvez por causa das festas de Natal, do amigo secreto, das festas de fim de ano do trabalho e, é claro, por causa da ceia tradicional do dia 24. Mas muitas vezes nós comemos por razões emocionais ou físicas, ou talvez por pressão social.

Veja abaixo o meu guia de sobrevivência para essa época do ano:

  1. Antes da ceia de Natal (no caso aqui da Austrália nós comemoramos no almoço do dia 25), eu vou comer como qualquer dia, meu café da manhã com ovos e bacon e salada ou um shake de proteína. Nada de começar a enfiar o pé na jaca logo cedo, ainda mais porque um café da manhã cheio de açúcar faz com o que a sua insulina vá lá em cima tentando conter a quantidade de açúcar no sangue.
  2. Eu sei que no Brasil nós reunimos a família e cada um traz um prato para a ceia, então que tal levar um prato mais leve? Por exemplo, eu vou levar uma torta de abóbora sem açúcar refinado e sem glúten (postarei a receita antes do Natal, para quem quiser fazer!) e um arroz de couve-flor (receita aqui) com linguiça, couve e cebola.
  3. Eu não vou fazer rabanada, mas se você não vai resistir, uma alternativa é usar xylitol ou stevia em pó com canela para a cobertura, que tal?
  4. Eu gosto de beber que nem todo mundo, mas eu vou beber vinho tinto seco ao invés do espumante ou pro seco. Por quê? Uma taça de vinho seco tem menos açúcar do que os espumantes, vinhos doces, cerveja ou rosés da vida. Eu sei que no Brasil vai estar um calorão, então se você resolver tomar uma cervejinha gelada, por que não optar pelas variações “low-carb”, tipo a Miller Light ou a Bud Select?
  5. Eu vou comer açúcar sim, mas de preferência frutas, sobremesas sem açúcar refinado ou mel. Se eu resolver comer um pedaço de torta de chocolate, vou comer um pedaço só. Moderação é a chave e está na lista aqui embaixo.
  6. Eu não sei o que a sua família faz para o Natal, mas normalmente o brasileiro come peru, chester, presunto e bacalhau – ótimas opções para quem não quer “jacar” no dia de Natal. Eu vou optar por acompanhamentos com pouco carboidrato como saladas, vegetais e legumes, e vou deixar de comer a salada de batata ou arroz branco, especialmente porque eu quero comer sobremesa! 🙂
  7. Moderação: evite comer um pratão logo de uma vez, mastigue devagar e tome um copo d’água cheio 20-30 minutos antes da ceia para diminuir a fome. Não beba água ou qualquer líquido durante a ceia pois a água dilui as enzimas digestivas do estômago dificultando a digestão dos alimentos.
  8. Aproveite as gordurinhas do bem das nozes e castanhas e evite comer frutas secas porque elas contêm muito açúcar. Prefira a fruta fresca.
  9. Como já postei antes no meu Instagram (você pode me seguir aqui), água entre um drink e outro é essencial para a hidratação do corpo. Outra dica ótima para quem não está mais a fim de beber mas sofre a pressão social é beber água com gás e limão e dizer que está bebendo vodka com lime soda ou refrigerante.
  10. Eu vou me exercitar de manhã com a barriga vazia e de novo logo antes da ceia, de preferência antes de comer. Que tal checar o meu exercício Rapidinha para fazer ao acordar e tentar um dos meus treinos de 5 minutos antes da ceia? Você pode achar vários treinos curtos no meu Instagram (clique aqui para redirecionar ou me procure no seu aplicativo: Home Fit Home).

E no dia seguinte? Bom, aí você volta para a sua “dieta” comum, sem entrar naquela de que se você jacou no dia anterior pode jacar até o ano virar!

Espero que tenham gostado! Me contem como vocês comemoram o Natal sem se arrepender no dia seguinte! 🙂

E eu quero aproveitar para desejar um Natal maravilhoso a todos! Lembrem-se que o Natal é uma época de dar e receber!

Beijos!!

Bia

Quem aí gosta de macarrão à bolonhesa? Receitinha simples e saudável!

Se você gosta de macarrão que nem eu mas não come por conta da quantidade de carboidratos você vai adorar essa receita! Hoje vamos fazer um espaguete de abobrinha à bolonhesa!

0C3A0931-2

Eu sei que parece maluquice, mas o espaguete fica uma delícia e nem parece que não tem massa de verdade. Que tal dar um boost nos nutrientes e testar essa receita com a família? Eu recomendo especialmente para quem tem criança em casa! Nutritivo e delicioso! 🙂

Você vai precisar de:

  • Couve – picadinha – um pouco menos da metade de um ramo
  • 3 pedaços de alho
  • 1/2 cebola picada
  • 4-5 abobrinhas – cortadas com um ralador ou qualquer equipamento de cozinha que corte a abobrinha no formato de espaguete (veja a imagem para ver como fica)
  • 500g de carne moída
  • Molho de tomate (sem açúcar)
  • Folhas de manjericão
  • Salsa picada
  • Sal e pimenta
  • Azeite
  • Manteiga
  • Queijo de cabra ou lacfree

0C3A0915-3

0C3A0928-2

Instruções

  1. Em uma frigideira pequena, coloque o azeite extra-virgem para esquentar
  2. Coloque 1/2 cebola picada na panela e refogue por 2 minutos
  3. Em seguida coloque os 2 alhos picados e refogue por mais 1 minuto
  4. Coloque a couve picadinha para fritar e frite normalmente, uns 3-4 minutinhos
  5. Coloque a carne moída para fritar
  6. Tempere a carne com sal e pimenta a gosto
  7. Frite a carne até cozinhar bem
  8. Coloque na panela o molho de tomate, a salsa e o manjericão
  9. Mexa bastante e deixe o molho ferver um pouquinho ( eu não uso muito molho por causa da quantidade de carbs, sugiro umas 3-4 colheres de sopa)
  10. Desligue o fogão e tampe a carne moída com o molho
  11. Enquanto isso você vai refogar o seu espaguete crú com 1 pedaço de alho e um pouco de azeite e manteiga. O segredo desse espaguete é que a abobrinha cozinha muito rápido, então você vai jogar o espaguete na panela quente com o alho e óleo e vai mexer por somente 1 ou 2 minutinhos porque quando você jogar o molho por cima vai cozinhar ainda mais!
  12. Despeje a carne com o molho sobre o espaguete, distribuindo uniformemente por todo o macarrão.
  13. Sirva no prato com queijo de cabra ou lacfree
  14. Bon appétit!
Spirooli

Spirooli: esse é o equipamento que eu uso para cortar a abobrinha. Você acha o Spirooli na Amazon.

Receitas: Arroz de Couve-Flor e Risoto de Couve-Flor

Couve-flor

Eu aposto que, se eu não tivesse contado, vocês não saberiam que essa foto não tem arroz nenhum, somente couve-flor! Quem aí é viciado em arroz branco e não gosta de arroz integral? Eu desafio você a tentar essa receita e me contar o que achou. É fácil fácil e não precisa esperar cozinhar na água como o arroz. É 100% vegetal com baixo carboidrato (5g para cada xícara de couve-flor) e muitos nutrientes!

Ao invés de só explicar como fazer o arroz de couve-flor básico, também incluí uma receita de risoto de couve-flor. Delish! Aproveitem.

Arroz de couve-flor:

Rale uma couve-flor inteira num ralador grande ou, se você tiver um liquidificador do estilo Vitamix ou Blendtec você pode cortar a couve-flor em pedaços menores e bater no liquidificador até alcançar uma consistência de arroz (não deixe bater por muito tempo senão vira purê).

Use papel toalha para secar um pouco o arroz. Enquanto isso, esquente um pouco o azeite ou óleo de côco (qualquer óleo menos o de girassol, canola, e os óleos de sementes).

Pique meia cebola e refogue no óleo quente, mexendo até a cebola começar a dourar. Esprema dois ou três pedaços de alho no espremedor e jogue quando a cebola estiver transparente. Eu adoro alho, mas quem preferir menos, coloque somente dois pedaços de alho.

Jogue o arroz de couve-flor na panela e cozinhe por aproximadamente 5 minutos ou até o a couve-flor cozinhar e ficar macia. Coloque sal a gosto e pimenta se quiser.

Voilà! O seu arroz está pronto! Coma como um substituto para o arroz comum: com o feijão, ou puro como acompanhamento para a sua refeição.

Risoto de couve-flor com linguiça e frango (serve 4):

Gente, eu adaptei essa receita do livro do Jamie Oliver: Save With Jamie. Súper recomendo.

Rale uma couve-flor inteira num ralador grande ou, se você tiver um liquidificador potente você pode cortar a couve-flor em pedaços menores e bater no liquidificador até alcançar uma consistência de arroz (não deixe bater por muito tempo senão vira purê).

Pique meia cebola, dois pedaços de alho e uma cenoura. Pique metade de um ramo de salsa bem fininho, corte 2 linguiças estilo chouriço (ou 3 fatias de bacon) e 2 coxas de frango em pedaços pequenos. Coloque todos os ingredientes numa panela com óleo quente e adicione um pouco de páprica (a gosto). Frite tudo por mais ou menos 5-10 minutos mexendo sempre.

Quem quiser mais vegetais no risoto, acrescente um pouco de abóbora ou abobrinha cozida e cortada em pedaços na panela. Se não quiser, pule para o próximo passo! 🙂 Vocês vão ver que no meu risoto eu fiz com os dois porque estava precisando comer mais vegetais.

Adicione uma colher de sopa de molho de tomate (recomendo um molho de qualidade com 100% tomate nos ingredientes e sem açúcar) junto com um cubinho de caldo de galinha. Misture tudo para o arroz de couve-flor sugar todos os sabores dos ingredientes e cozinhe por mais 5 minutos. Coloque sal e pimenta a gosto.

Para quem ama limão como eu, vale cortar umas fatias e servir o risoto com um pouquinho de salsa em cima para enfeitar. Uma delícia!

Espero que tenham gostado e até a próxima! Tchau!