Perguntas e Respostas com o Nutricionista Bruno Chlamtac

_C3A2352O Home Fit Home foi tirar algumas dúvidas com o nutricionista Bruno Chlamtac, porque afinal, nós somos bombardeados com diferentes dietas, modinhas de alimentação e acabamos nos confundindo com tanta informação.

As minhas perguntas são um resumo das dúvidas que vocês me enviam e o Bruno deu a sua opinião profissional. Eu me consultei com o Bruno quando tinha uns 18 anos, na época em que morava no Brasil. Na época eu queria perder peso…Coisas que toda mulher entende. 🙂 Desde então, eu venho acompanhando a sua página do Facebook e todas as suas receitas deliciosas.

Recentemente o Bruno lançou a Boa Mão, uma linha de alimentos preparados com produtos orgânicos e sem glúten, lactose, soja ou conservantes químicos. Eu comi e aprovei! 🙂 Vocês podem encontrar o Boa Mão no Instagram @boamaogf e no Facebook https://www.facebook.com/boamaogf?pnref=lhc

Home Fit Home: Qual é a importância da alimentação se comparada ao exercício físico quando um cliente quer atingir objetivos estéticos?

Bruno: Para obtenção de objetivos estéticos, ambos são fundamentais na obtenção de um resultado satisfatório. Acredito que 50% de importância para cada um. A alimentação correta e adequada vai lhe proporcionar o resultado esperado, mas sem a atividade física os resultados são bastante inferiores ao esperado. E a recíproca é verdadeira.

Home Fit Home: Atualmente, existem várias dietas: Paleo, LCHF, South Beach, Atkins, dieta da fruta, da proteína…Qual é a sua opinião sobre as diversas dietas?

Bruno: O melhor caminho é procurar uma dieta feita para você, com o seu nome. Essa é a melhor dieta! Aquela que respeita suas individualidades, seu ritmo de vida, sua rotina de exercícios e suas necessidades fisiológicas. Dietas da moda ou que deram certo com o vizinho tendem ao fracasso e ao efeito sanfona.

Home Fit Home: Qual é o erro mais comum identificado na dieta dos seus clientes?

Bruno: O erro mais frequente é a busca por produtos zero, diet, light, industrializados e a pouca procura por comida de verdade. Nós estamos comendo pouca comida e nos entupindo de alimentos vazios de nutrientes e com baixa caloria. Na época da vovó nós éramos mais saudáveis!

Home Fit Home: Os supermercados estão lotados com produtos lights, diet, fit para se referir a um produto saudável ou emagrecedor. Dá para confiar nos rótulos?

Bruno: Nós temos um órgão que regulariza e fiscaliza os alimentos, a Anvisa. Portanto, temos que confiar. A dica é comer menos alimentos com rótulos e mais comida de verdade. Assim não tem erro! Por exemplo: o pão tem rótulo e 20 ingredientes na composição. Já o Aipim não tem rótulo e apenas 1 ingrediente: aipim. A barra de cereal tem rótulo e diversos ingredientes, enquanto que a maçã não tem rótulo e apenas 1 ingrediente: maçã.

Home Fit Home: Quais são os alimentos considerados “saudáveis” mas que no fundo sabotam a nossa dieta?

Bruno: Diversos alimentos como: barra de cereal, iogurte zero, sopa de pacotinho, biscoito cream cracker, suco de caixa e por aí vai. Calorias vazias, sem nutrientes e na maioria das vezes lotados de açúcar, gordura ruim e conservantes.

Home Fit Home: Qual dica você dá aos seus clientes que não conseguem resistir à tentação de comer doces?

Bruno: Primeiro é necessário avaliar o paciente e verificar se há alguma deficiência de zinco, magnésio, triptofano, cromo, etc. Geralmente pessoas com deficiência destas vitaminas, minerais e aminoácidos possuem uma vontade maior por doces. Chocolate, por exemplo, é rico em triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, hormônio que gera a sensação maravilhosa de prazer e felicidade após comer um chocolate. Outro ponto é avaliar a quantidade de carboidratos que a pessoa come ao longo do dia. Algumas pessoas acabam fazendo restrição de carboidratos e a quantidade de glicose no sangue diminui fazendo a vontade por doces aumentar. A terceira dica é procurar as frutas in natura, frutas secas, chocolates com maior teor de cacau, como 70% para suprir essa necessidade.

Home Fit Home: É claro que o acompanhamento com um nutricionista é o ideal na conquista de um corpo saudável. Quais dicas você pode dar para quem não pode se consultar regularmente com um profissional?

Bruno: Evite industrializados, coma comida de verdade, beba bastante água e pratique atividade física. Pesquise, leia, seja curioso e comece a conhecer o seu corpo. Hoje em dia, felizmente, o acesso a informação é muito grande.

Falta de planejamento na cozinha é receita de fracasso na dieta

Muitas pessoas querem mudar a dieta e alcançar uma vida mais saudável, mas continuam comendo na rua.

Eu sei que existem restaurantes com opções saudáveis, mas mesmo assim eles acabam incluindo ingredientes ou molhos que sabotam a sua dieta. Gente, eu sei que é difícil, ainda mais quando a gente trabalha o dia inteiro e não tem tempo de cozinhar. Eu sou a a primeira a confessar que eu como bastante fora.

Mas esse fim de semana eu resolvi começar a preparar as minhas refeições da semana seguinte. Eu fui num açougue bom e num supermercado tipo Horti Fruti e comprei 1kg de carne moída, 1 kg de coxa de frango, 1kg de quinoa, um monte de legumes e verduras (batata doce, cenoura, beringela, abobrinha, abóbora, cherívia, manjericão, salsa, cebolinha, cebola, alho…e frutas!). Nossa acho que foi isso mesmo! Tá tudo na foto! Lembrando que essa quantidade é para duas pessoas.

FullSizeRender

Eu cozinhei toda a carne moída com bastante cebola e alho, e assei a maioria dos legumes cortados até eles caramelizarem. E também fiz uma salada de quinoa – mas eu não usei 1kg não, fiz mais ou menos 400 gramas. Separei tudo em marmitas e o resto eu reservei para o jantar. Ah, e ainda lavei a luva e o morango e deixei tudo cortadinho na geladeira, principalmente para aqueles dias que eu estou com vontade de comer doce. Tudo isso acompanhado de uma taça de vinho tinto, porque vinho tem bastante resveratrol e… porque é domingo e está frio aqui em Melbourne, então eu mereço!

O resultado: eu tenho a minha semana de almoços pronta e ainda tenho o frango para cozinhar e sobras dos legumes e da carne moída. Eu resolvi todas as minhas refeições em menos de 2 horas, sem gastar muito dinheiro. E eu vou poupar tempo todos os dias à noite, porque só vou precisar cozinhar o frango.

Eu esqueci de mencionar que você fica no controle da sua dieta, porque você é quem escolhe o que entra no seu prato!

A minha recomendação é preparar muita verdura, legume, algum tipo de proteína e um pouco de carboidrato como batata doce, arroz, quinoa, etc.

E aí? Quem vai à feira ou ao supermercado hoje comprar as comidinhas para a semana?

 

Sobremesa simples, rápida e saudável – Creme de Tapioca

Tapioca pudim
Sobremesa de um domingo de preguiça…ou será café da manhã?
Hoje é domingo em Melbourne e eu acordei cedo, tomei café da manhã (1 ovo, um pouco de bacon e sauerkraut), liguei para o Brasil para falar com a minha mãe e voltei a dormir…gente eu estava morta! 
Aí eu acordei com aquela vontadinha de comer algo doce e lembrei que tinha comprado um pacote de pérola de tapioca…o chamado Sago que às vezes você vê em restaurantes asiáticos como sobremesa. As pérolas na verdade são as sementes da tapioca, branquinhas no pacote e transparentes ao cozinhar.
Eu resolvi postar essa receita porque ficou uma delícia e levou 13 minutos! Quer melhor que isso?
Porções: 4 
Ingredientes:
  1. 1/2 xícara de pérola de tapioca
  2. 2 1/2 de xarope de arroz integral – ou adoçante natural a gosto (stevia ou xylitol)
  3. Canela a gosto
  4. Cravo em pó à gosto
  5. 1 colher de semente chia
  6. 500 ml de leite de côco – ou para quem só tem uma latinha de 400 ml, coloque o restante de água
  7. 2 colheres de chá de essência de baunilha
Instruções
  1. Coloque meia xícara da semente de tapioca na panela com 500ml de leite de côco de latinha, daqueles originais com gordura mesmo + 2 colheres e meia de xarope de arroz integral (ou qualquer adoçante natural como xylitol ou stevia), canela, cravo em pó e essência de baunilha.
  2. Cozinhe em fogo baixo por 10 minutos mexendo de vez em quando.
  3. Passados os 10 minutos jogue uma colher de sopa de chia para um pouquinho mais de fibra e proteína.

Quem quiser colocar manga picadinha ou mirtilo (blueberries) no final, também pode! 🙂

Mas cuidado para não exagerarem na porção hein gente? Tapioca tem bastante carboidrato! 

Espero que vocês façam e aprovem!

Beijos

Bia

Natal sem culpa…Receita de torta de abóbora sem açúcar!

0C3A4509

Para quem esqueceu de encomendar uma torta de Natal ou para aqueles que estão pensando numa alternativa saudável para celebrar a noite de Natal!

Que tal uma torta doce sem glúten e sem açúcar? Eu venho adaptando essa torta já faz um tempinho e o namorado aprovou! 🙂

Você vai precisar de:

Recheio

  • 1 1/2 xícaras de purê de abóbora
    • *A abóbora orgânica é mais saborosa que a comum e talvez você nem precise usar muito adoçante. Para fazer o purê você pode colocar pedaços da abóbora com azeite e uma pitada de sal no forno por 15-30 minutos dependendo do tamanho dos pedaços. Depois é só retirar as cascas e amassar bem.
  • 3 ovos
  • 1/2 xícara de Xylitol (ou a gosto) – uma alternativa é usar mel (110 ml), mas lembrando que mel é que nem açúcar! E recomendo menos de meia xícara porque o mel é bem doce! Vá provando até achar o ponto certo para você.
  • 180 ml de creme de leite (lacfree ou Zymil ou comum mesmo)
  • 1 colher de sopa de gengibre fresco ralado
  • 1 colher de chá de sal
  • 2-3 colheres de sopa de farinha de tapioca para engrossar (eu ainda não testei com biomassa de banana verde, vocês podem testar e me contar como ficou)
  • Raspas de 1 limão
  • 1/4 de colher de chá de cravo
  • 1/4 de colher de chá de noz-moscada
  • 1 colher de chá de canela

Base

  • 60 gramas de manteiga derretida
  • 2 xícaras de farinha de amêndoa ou macadamia ou avelã ou uma mistura dos três (a macadãmia fica uma delícia!!)
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de xylitol

Instruções

Aqueça o forno a 180 graus. Comece fazendo a base: combine a manteiga derretida com a farinha de macadâmia, o sal e o xylitol até a farinha soltar óleo e ficar bem grudentinha. Quanto mais você trabalhar a mistura com a mão, melhor a base vai ficar!

Pressione a mistura nos lados e na base de uma fôrma de 20-25 cm. Você escolhe se quer a base mais grossa ou fina ao pressionar mais ou menos. Coloque a fôrma no forno pré aquecido por 5 minutos ou até começar a dourar. Remova a fôrma do forno e deixe esfriar (coloque no congelador se você não tiver tempo que nem eu! haha)

Enquanto isso você vai misturar os ovos e o xylitol e depois adicionar todos os ingredientes. Você quer uma consistência de creme. Se estiver muito líquido adicione mais farinha de tapioca. Despeje o recheio na fôrma com a crosta fria e leve ao forno por 45-55 minutos. Uma forma de saber se a torta está pronta é quando o recheio começa a descolar da base.

Para enfeitar e dar um gostinho bom você pode usar côco ralado como na minha foto!

Me avisem como ficou!!! Eu estou pronta para comer a minha!

0C3A4466

Dicas de sobrevivência para a ceia de Natal!

0C3A4547-Edit

Você treina todos os dias, come direitinho e tenta cuidar da sua saúde, mas quando vai chegando o Natal você começa a enfiar o pé na jaca porque afinal…é Natal!

A maioria das pessoas come mais do que deveria no final do ano, talvez por causa das festas de Natal, do amigo secreto, das festas de fim de ano do trabalho e, é claro, por causa da ceia tradicional do dia 24. Mas muitas vezes nós comemos por razões emocionais ou físicas, ou talvez por pressão social.

Veja abaixo o meu guia de sobrevivência para essa época do ano:

  1. Antes da ceia de Natal (no caso aqui da Austrália nós comemoramos no almoço do dia 25), eu vou comer como qualquer dia, meu café da manhã com ovos e bacon e salada ou um shake de proteína. Nada de começar a enfiar o pé na jaca logo cedo, ainda mais porque um café da manhã cheio de açúcar faz com o que a sua insulina vá lá em cima tentando conter a quantidade de açúcar no sangue.
  2. Eu sei que no Brasil nós reunimos a família e cada um traz um prato para a ceia, então que tal levar um prato mais leve? Por exemplo, eu vou levar uma torta de abóbora sem açúcar refinado e sem glúten (postarei a receita antes do Natal, para quem quiser fazer!) e um arroz de couve-flor (receita aqui) com linguiça, couve e cebola.
  3. Eu não vou fazer rabanada, mas se você não vai resistir, uma alternativa é usar xylitol ou stevia em pó com canela para a cobertura, que tal?
  4. Eu gosto de beber que nem todo mundo, mas eu vou beber vinho tinto seco ao invés do espumante ou pro seco. Por quê? Uma taça de vinho seco tem menos açúcar do que os espumantes, vinhos doces, cerveja ou rosés da vida. Eu sei que no Brasil vai estar um calorão, então se você resolver tomar uma cervejinha gelada, por que não optar pelas variações “low-carb”, tipo a Miller Light ou a Bud Select?
  5. Eu vou comer açúcar sim, mas de preferência frutas, sobremesas sem açúcar refinado ou mel. Se eu resolver comer um pedaço de torta de chocolate, vou comer um pedaço só. Moderação é a chave e está na lista aqui embaixo.
  6. Eu não sei o que a sua família faz para o Natal, mas normalmente o brasileiro come peru, chester, presunto e bacalhau – ótimas opções para quem não quer “jacar” no dia de Natal. Eu vou optar por acompanhamentos com pouco carboidrato como saladas, vegetais e legumes, e vou deixar de comer a salada de batata ou arroz branco, especialmente porque eu quero comer sobremesa! 🙂
  7. Moderação: evite comer um pratão logo de uma vez, mastigue devagar e tome um copo d’água cheio 20-30 minutos antes da ceia para diminuir a fome. Não beba água ou qualquer líquido durante a ceia pois a água dilui as enzimas digestivas do estômago dificultando a digestão dos alimentos.
  8. Aproveite as gordurinhas do bem das nozes e castanhas e evite comer frutas secas porque elas contêm muito açúcar. Prefira a fruta fresca.
  9. Como já postei antes no meu Instagram (você pode me seguir aqui), água entre um drink e outro é essencial para a hidratação do corpo. Outra dica ótima para quem não está mais a fim de beber mas sofre a pressão social é beber água com gás e limão e dizer que está bebendo vodka com lime soda ou refrigerante.
  10. Eu vou me exercitar de manhã com a barriga vazia e de novo logo antes da ceia, de preferência antes de comer. Que tal checar o meu exercício Rapidinha para fazer ao acordar e tentar um dos meus treinos de 5 minutos antes da ceia? Você pode achar vários treinos curtos no meu Instagram (clique aqui para redirecionar ou me procure no seu aplicativo: Home Fit Home).

E no dia seguinte? Bom, aí você volta para a sua “dieta” comum, sem entrar naquela de que se você jacou no dia anterior pode jacar até o ano virar!

Espero que tenham gostado! Me contem como vocês comemoram o Natal sem se arrepender no dia seguinte! 🙂

E eu quero aproveitar para desejar um Natal maravilhoso a todos! Lembrem-se que o Natal é uma época de dar e receber!

Beijos!!

Bia

Quem aí gosta de macarrão à bolonhesa? Receitinha simples e saudável!

Se você gosta de macarrão que nem eu mas não come por conta da quantidade de carboidratos você vai adorar essa receita! Hoje vamos fazer um espaguete de abobrinha à bolonhesa!

0C3A0931-2

Eu sei que parece maluquice, mas o espaguete fica uma delícia e nem parece que não tem massa de verdade. Que tal dar um boost nos nutrientes e testar essa receita com a família? Eu recomendo especialmente para quem tem criança em casa! Nutritivo e delicioso! 🙂

Você vai precisar de:

  • Couve – picadinha – um pouco menos da metade de um ramo
  • 3 pedaços de alho
  • 1/2 cebola picada
  • 4-5 abobrinhas – cortadas com um ralador ou qualquer equipamento de cozinha que corte a abobrinha no formato de espaguete (veja a imagem para ver como fica)
  • 500g de carne moída
  • Molho de tomate (sem açúcar)
  • Folhas de manjericão
  • Salsa picada
  • Sal e pimenta
  • Azeite
  • Manteiga
  • Queijo de cabra ou lacfree

0C3A0915-3

0C3A0928-2

Instruções

  1. Em uma frigideira pequena, coloque o azeite extra-virgem para esquentar
  2. Coloque 1/2 cebola picada na panela e refogue por 2 minutos
  3. Em seguida coloque os 2 alhos picados e refogue por mais 1 minuto
  4. Coloque a couve picadinha para fritar e frite normalmente, uns 3-4 minutinhos
  5. Coloque a carne moída para fritar
  6. Tempere a carne com sal e pimenta a gosto
  7. Frite a carne até cozinhar bem
  8. Coloque na panela o molho de tomate, a salsa e o manjericão
  9. Mexa bastante e deixe o molho ferver um pouquinho ( eu não uso muito molho por causa da quantidade de carbs, sugiro umas 3-4 colheres de sopa)
  10. Desligue o fogão e tampe a carne moída com o molho
  11. Enquanto isso você vai refogar o seu espaguete crú com 1 pedaço de alho e um pouco de azeite e manteiga. O segredo desse espaguete é que a abobrinha cozinha muito rápido, então você vai jogar o espaguete na panela quente com o alho e óleo e vai mexer por somente 1 ou 2 minutinhos porque quando você jogar o molho por cima vai cozinhar ainda mais!
  12. Despeje a carne com o molho sobre o espaguete, distribuindo uniformemente por todo o macarrão.
  13. Sirva no prato com queijo de cabra ou lacfree
  14. Bon appétit!
Spirooli

Spirooli: esse é o equipamento que eu uso para cortar a abobrinha. Você acha o Spirooli na Amazon.

A luta contra a gordura…usando gordura!

Bacon and Eggs

Quando você cozinha, você evita usar manteiga? Quando você come um pouco de carne vermelha, bate aquela culpa? “Devia ter cortado a gordura daquela picanha…”. Talvez a culpa de comer gordura saturada esteja com os dias contados! Oba!!!

De acordo com um artigo da ISTOÉ, a relação entre o aumento do consumo da gordura saturada e a incidência de doenças cardiovasculares não é baseada em evidência científica. A conclusão: não existem estudos que provam que comer gordura saturada leva a um aumento no risco de problemas de coração.

Mas, por que isso me interessa? Faz um tempo que venho lendo artigos científicos, assistindo documentários e me informando sobre nutrição. Só para lembrar: eu não sou nutricionista ou médica, mas eu tenho muito interesse no assunto (quem sabe eu não acabo me inscrevendo na Universidade um dia…). Enfim, eu venho me usando de cobaia para testar uma nova “dieta”. Gente, eu escrevo dieta, mas eu não gosto de usar esse termo porque eu não acredito em dietas, mas sim em mudanças no nosso estilo de vida. Já faz quase 2 meses que venho aumentando o consumo de gordura saturada e polinsaturada, mantendo o consumo de proteína razoável (sem exageros) e reduzindo drasticamente a ingestão de carboidratos. É claro que eu ainda como bastante verdura – isso não mudou.

Essa “dieta” é chamada de banting, low carb high fat (LCHF), ketogenic diet, primal. Eu não me importo com a nomenclatura porque eu quero mesmo é ver como eu me sinto no final das contas. O resultado:

  1. Mais energia
  2. Aumento de performance quando eu me exercito
  3. Perda de gordura
  4. Me sinto mais disposta e animada
  5. Não sinto sono depois das refeições

Eu tenho acompanhado a minha dieta com um clínico geral e meus exames de sangue estão ótimos!! HDL e LDL ótimos e triglicerídeos baixo. Eu vou continuar a postar os resultados e as minhas impressões sobre essa dieta. Para os médicos de plantão lendo esse post, eu sei que mudanças em qualquer dieta só refletem no exame de sangue depois de 6-8 semanas. 🙂  O que eu li e faz sentido sobre essa nova forma de se alimentar:

  • Gordura é a maior fonte concentrada de energia. O que isso significa? Ao invés do corpo usar o açúcar do arroz, pão, massa para usar como energia, o corpo começa a usar a gordura armazenada no corpo.
  • Carboidratos são ótimas fontes de energia rápida – não é à toa que atletas usam alimentos com bastante açúcar antes e durante eventos. Mas, quando o corpo não tem acesso ao açúcar, ele começa a usar a gordura armazenada sem qualquer detrimento ao funcionamento do cérebro. Lembrem-se: no passado nossos ancestrais quase não comiam qualquer forma de açúcar!
  • Você transforma o seu corpo numa máquina de queimar gordura – quando entramos no estado de cetose (quando o corpo usa gordura para transformar em energia). Imagina que coisa linda, meninas?
  • Você diminui aqueles picos de glicose no sangue. Você se sente cansado um pouco depois de comer aquele prato de macarrão? É porque assim que você come, você sofre um pico de glicose no sangue, mas logo depois dá aquela caída drástica. Resultado: você fica cansado e com vontade de comer mais.

Eu vou continuar a falar sobre isso, mas acho que vale à pena ler o artigo da ISTOÉ. Eu tenho lido várias coisas interessantes sobre o tópico e vou continuar postando aqui. 🙂 ISTOÉ: Nem tão vilã assim?

O que comer? O que não comer? Dieta?

fats-and-meats-lg-1

Oi pessoal,

Eu resolvi escrever um pouco sobre alimentação. Eu estou recebendo perguntas sobre nutrição e pensei que eu podia começar com o que eu venho testando e aprovando na minha dieta e como escolho meus alimentos.

Primeiro eu acho que nós mulheres devemos parar de entrar na neurose da balança. Eu quase não me peso porque o peso não significa nada gente! Tem gente que é leve leve e tem mais gordura corporal do que alguém pesado com músculo.

Pois então, voltando a alimentação: eu tentei várias dietas, suplementos e shakes, etc. Muitas dessas dietas funcionam mas todas elas têm data de validade, né? Você começa na famosa segunda-feira, segue por 1, 2, 3 meses e depois cai na tentação de novo. Eu pesquiso muito sobre nutrição e como o corpo reage aos alimentos que ingerimos então criei uma abordagem mais descomplicada focada na SAÚDE. É comida de verdade? Boto para dentro. Saiu de um pacote? Huuum, vamos ver o rótulo.

Eu aconselharia a todo mundo a checar os rótulos dos produtos na sua dispensa…Mas e aí? O que checar?

  1. Carboidratos: Eu restrinjo a quantidade de carboidrato na minha alimentação. Não é porque eu quero emagrecer (às vezes eu QUERO! haha), mas porque o nosso corpo não precisa de tanto carboidrato gente. Carboidrato = açúcar, e o açúcar dá aquela euforia, aquela energia e depois gera aquela preguiça. Por quê? Porque o açúcar no sangue vai lá em cima e de uma hora para outra cai dando aquela fominha e gula.
  2. Gordura: Eu como gordura à beça!! Dos 3 macronutrientes (proteína, carboidrato e gordura) somente o carboidrato não é essencial na nossa dieta. Nós precisamos de gordura para sobreviver. Mas não é toda gordura que é boa: corte completamente a gordura hidrogenia (margarina por exemplo) e vegetal (óleo de sementes, como canola e girassol por exemplo). O ideal é optar por gordura animal, abacate, azeite, castanhas, etc. Gordura é a maior reserva de energia que pode existir no corpo humano, então por que comer açúcar para ter mais energia? Enfim, vou escrever um post só sobre gordura.
  3. Proteína: Yes! Nós precisamos de proteína, mas em excesso acaba sendo acumulada como gordura.
  4. Fibra: Outra parte importante do alimento e SACIA em grandes quantidades! Normalmente encontrada nas frutas e vegetais.
  5. Substâncias que você não entende o nome: se você encontrar palavras enormes que não fazem sentido tente evitar o alimento. Você quer o mínimo de adoçantes,  preservativos, corantes, aditivos, etc etc.

Para resumir: eu como alimentos frescos (na maioria das vezes), eu tento cozinhar o máximo possível em casa, evito o carboidrato e como gordura em todas as refeições. Lembrem-se: a história de fat-free, 0% gordura é balela, porque as empresas cortam a gordura do produto e colocam açúcar para dar gosto.

Gordura é essencial, dá gosto aos alimentos e sacia. Vou postar os estudos e continuar escrevendo sobre isso…!

Espero que tenham gostado e postem seus comentários aqui embaixo!!

Beijos,

Bia

Exercício Rapidinha

Oi galera, esse exercício foi um dos primeiros vídeos que filmei e mostrei para os amigos e a família – não é um dos mais bem editados mas dá uma ideia do que está te esperando!!! Haha

Sábado à noite aí, então vale a pena correr para a sala de estar, garagem, varanda ou quintal e malhar comigo antes de ir para a noitada!! Meninos, esse vídeo é para vocês também!

Bom treino e me avisem se gostaram do vídeo!

Um beijo grande

xxx

Bia

Como malhar sem ir à academia?

0C3A8896

Primeiro, eu vou me apresentar. Eu sou a Bia, 28 anos, carioca e moradora da Austrália (Melbourne). Eu sou apaixonada pelo tema “saúde”. Eu não sei quando começou mas desde novinha eu já me preocupava com a minha alimentação e já frequentava a academia. Tive personal trainers, fui a alguns nutricionistas, fiz dietas, corri, fiz aulas de todos os tipos, tomei suplementos. No início eu fazia tudo isso pela aparência (que é importante né?), mas hoje eu tenho uma abordagem mais simples e descomplicada pela minha saúde porque a aparência é consequência do nosso estilo de vida. E aí me mudei para Melbourne e não gostei muito das academias. Nenhuma academia aqui tem caneleira, acreditam?! Como malhar o bumbum? Pois então foi aí que comecei a malhar em casa.

E se você está pensando que sou rica (quem dera! haha) e que tenho uma sala cheia de máquinas e equipamentos você está muito enganado: eu treino na minha sala de estar ou aonde eu estiver (quarto de hotel, garagem da casa de amigos, parques…). Tem gente que olha e me acha maluca! Meus amigos, meu namorado e minha família já estão mais acostumados, mas quem me vê pulando pela primeira vez ri à beça…haha. Falando em maluca, meus amigos me acham meio doida. Eu estou sempre pesquisando novos alimentos, exercícios, tênis, sapatilhas de corrida e acabo usando ou testando as coisas antes de todo mundo porque eu AMO de paixão encontrar novas formas de cuidar do meu corpo e da minha mente. E aí todo mundo se diverte comigo!  Espero que vocês se divirtam também! 🙂

Mas por que Home Fit Home? Porque várias pessoas me perguntam como eu me exercito sem ir à academia e os meus amigos e conhecidos sempre pedem dicas de alimentação e malhação. Então decidi compartilhar a minha loucura e paixão (porque os dois andam juntos, concordam?) com o Brasil! Eu vou postar vídeos com os meus treinos/workouts e explicar como os exercícios são feitos em casa ou aonde você estiver passo a passo. Eu quero espalhar para todo mundo que dá SIM para ser saudável malhando em casa. Eu quero mostrar que você pode emagrecer, fortalecer os músculos, ganhar massa muscular, levantar o bumbum (yay!), dentre outras maravilhas sem gastar horas na academia. Mas, como nada é uma fórmula mágica e nada é fácil, não adianta malhar bonitinho todo dia e comer porcaria. O resultado vem com muita dedicação e uma alimentação que eu chamo de “clean” e natural.

E por fim eu quero deixar claro que eu não sou professora de educação física, nutricionista ou profissional da saúde. Eu sou amante do tema e muito disciplinada, por isso vou mostrar como fazer os movimentos sem se machucar, mas eu confio em vocês para acompanhar direitinho e respeitar os seus limites! É isso gente, espero que gostem!! E boa malhação!